Pesquisa

Manifesto do Comportamento na Internet

André Felipe André Felipe, 16 de fevereiro de 2009.

Após ter aulas de Ética na universidade, aprendi que é um campo de conhecimento mais teórico do que deveria ser. Mesmo assim, escrevi este post, pois acredito que não podemos viver uma anarquia comportamental na Internet.:ninja:

Meninas usando computadores
As crianças estão entre as mais vuneráveis vítimas de coisas que pessoas que entendem "liberdade de expressão" como "tudo é permitido" fazem e dizem.

Este simplório manifesto contém uma lista de regras simples e objetivas que seriam leis cujos violadores estariam passíveis de punição num mundo utópico.;)

Antes de ler os "decretos", certifique-se de que compreendeu inteiramente o parágrafo anterior e de que está disposto a ler tudo com atenção. Não quero que ninguém se sinta frustrado por ter seu comentário recusado porque formou uma opinião sem sequer ter lido o conteúdo do post.¬¬

Decreto primeiro: não seja um troll

O termo troll, no jargão da Internet, refere-se a pessoas que perdem seu tempo publicando ataques medíocres e comentários beócios com o intuito de irritar e prejudicar de algum modo um usuário ou grupo de usuários de um blog, fórum ou outro tipo comunidade on-line.

Geralmente, trolls nem conseguem expressar-se de modo conciso. Abusam de termos chulos e insultam abertamente a todos que aparecem nas suas telas. Há também, em quantidade menor, alguns que têm capacidade para elaborar algumas linhas de texto até legíveis, porém com as falácias e injúrias típicas dessa categoria.

É fácil não ser um deles:

  • No caso de não gostar e/ou não concordar com algo que vir na Internet e a única atitude de que for capaz não ser construtiva, não faça nada;
  • Não diga na Internet nada do que não diria pessoalmente;
  • O contrário de ser um troll é tratar as pessoas como seres humanos que merecem respeito.

Decreto segundo: trolls não são dignos de atenção

Pessoas usando computadores numa biblioteca
Quando usam a Internet no conforto do lar (e com a falsa ideia de anonimato), alguns internautas se esquecem de que são seres humanos os indivíduos com quem interagem on-line.

Em sites de língua inglesa, costuma-se usar a expressão "don't feed the trolls" (não alimente os trolls), que é um lembrete importante, já que:

  • Como li há alguns anos nesta página da BBC com dicas para usuários de bate-papo, "Você tem controle, pode sempre clicar para sair!". Em outras palavras, você não tem o direito de reclamar de alguém que o ofendeu ou disse algo desagradável no Live Messenger, num bate-papo, num fórum, se continuar dando atenção para a pessoa;
  • Em comunidades, acuse atitudes irregulares apropriadamente, isto é, aos moderadores. Não tente fazer justiça com as próprias mãos;
  • Se tiver um blog, apenas descarte comentários de que não gosta;
  • Em Português claro: ignore os trolls.:policia:

Decreto terceiro: do conteúdo publicado

  • Publique apenas o que você mesmo produzir e o que autores explicitamente permitem que seja republicado;
  • Escreva sempre refletida e sinceramente. Reconheça e corrija seus erros;
  • Preserve o post original. Anotações posteriores devem ser feitas de modo que o texto se mantenha íntegro;
  • Não exponha na Internet problemas e informações confidenciais, como de seu trabalho;
  • Não dê dados pessoais, como seu telefone ou e-mail, a pessoas que não conhece bem;
  • Respeite a língua portuguesa. Mesmo se escrever numa linguagem coloquial, confira a ortografia e preste atenção para não abusar de falhas gramaticais;
  • Se seu blog tem anúncios, tem fins comerciais;
  • Sempre que disponíveis, cite as fontes.

Decreto quarto: reciprocidade de atenção

Pessoas com as mãos umas sobre as outras
Unidos por uma Internet melhor e mais comunitária.
  • Quando apropriado, responda a comentários e e-mails prontamente;
  • Acate e leve em consideração sugestões de outras pessoas quanto ao que deve fazer em situações novas;
  • Se participar de um fórum, não entre somente para solucionar seus próprios problemas. Ajude outras pessoas também.

Fontes consultadas

Estes outros modelos de códigos, em língua inglesa, me inspiraram e ajudaram a escrever este texto:

Considerações finais

Don't Be an Idiot
O site Don't Be an Idiot resumiu todas as regras nesta única frase: Não seja idiota.

Como disse no começo, a ideia pode ser meio fantasiosa, mas é o que acredito e tento seguir. Se com o tempo pensar em mais itens, adicionarei ao final da lista. Deixe um comentário para sugerir dicas e para que os outros leitores de André Felipe.net saibam sua opinião sobre o "manual de comportamento".;)

3 comentários:

  1. Muito interessante esse post, acho que se metade dos internautas seguissem pelo menos algumas dessas 'regras' a internet seria um lugar melhor e as pessoas se respeitariam mais...

    Muito bom, continue assim...

    ResponderExcluir
  2. Obrigado, Amy. É bom saber que não somos os únicos a pensar assim, não é? :)

    ResponderExcluir
  3. Gostei desse post....
    Meu Blog, apesar, apesar mesmo, de ter um número consideravel de visitas, nunca aceitei fazer alguma coisa para ganhar dinheiro com ele, não que eu seja contra quem faz isso, mas eu penso, no caso do meu blog, que nunca foi essa a intenção quando o criei.....mas já me oferecem muito dinheiro para tirá-lo do ar....já me rendeu (e rende ainda)muita ameaça....
    Abraços.

    ResponderExcluir

Aviso

Estou reorganizando o blog e algumas coisas podem estar fora de lugar. Os comentários antigos já foram transferidos para o sistema do Disqus.